Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   
O Mano é ruim mesmo
 

Neymar jogo Brasil x Mexico

 

Infeliz o comentário do apresentador do programa Bate Bola, canal 30 da Net, quando afirmou que parece que descobriram a maneira do Neymar jogar e, por isso, agora fica fácil marcá-lo. Deus do céu! Esse é daqueles que se encaixam perfeitamente na crônica que fiz, semana passada, “Como é duro ter que morder o próprio cotovelo”.

É momento de incentivo e não de mostrar despeito, considerando estarmos próximos de duas copas importantes. Queiram ou não, esses tais fãs dos “Zé das Couves” da vida, vão ter que aceitar esses dois, Neymar e Ganso, tendo em vista serem os únicos a fazerem diferença nessa safra ruim de jogadores.

Mano peca porque só acredita neles, em vez de se preocupar em preparar os demais para tentar um conjunto até lá. Não adianta chegar ao ouvido do Neymar e falar: “se vira nos trinta”, senão quem dança sou eu.

Um jogador que me fez acreditar, e que hoje me assusta pela involução de seu futebo,l é o Lucas. Ainda assim, quero apostar que alguém deverá descobrir a sua verdadeira posição. E Mano, para variar, ainda embanana mais colocando aquele Huck na posição que é dele.

O desespero é tão grande que querem fazer desse menino Oscar uma revelação. Bom jogador, mas muito precoce afirmar ser um craque e ainda por cima ser o dono da camisa dez.

Portanto, Dinamarca e Estados Unidos nos fizeram um mal danado. México foi um bom teste, embora longe de um verdadeiro adversário. A Argentina, talvez nos mostre o quanto estamos distante da realidade.

O fato é que não nos conscientizamos de que o futebol moderno exige muita força e principalmente velocidade, esta que nos falta e muito. Entramos contra o México a dez por hora enquanto eles estavam a duzentos. Parecíamos até um time FLEX movidos a etanol para economizar, enquanto eles voavam com gasolina azul.

Antes de tudo, sou fã, ou melhor, fanático pelos jogadores brasileiros e mantenho, enquanto viver, o pensamento de que a hegemonia do futebol é nossa. Portanto, xô Satanás para esses pessimistas e pés-frios da nossa imprensa. E repito o slogan que sempre mais gostei: PRA FRENTE BRASIL! Só que hoje não somos noventa milhões de brasileiros, mas sim o dobro.  

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009