Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   
Se um já faz estrago, imaginem três
 

arbitros futebol

 

Parece que a sugestão dada em minha última crônica já funcionou. Marcelo Veiga, treinador do Bragantino, se valeu de pronto da idéia lançada pelos supra-sumos da arbitragem  e consegue segurar o time do Santos F.C., na pancada. Neymar, com apenas 5 minutos de jogo, sofreu quatro faltas, quase uma falta por minuto.

Os bam-bam-bam da mídia, a esta altura, devem estar falando: Pô! Esse cara só fala disso. Exatamente isso. A omissão pelo descaso, preguiça ou desconforto é que faz proliferar os atropelos da vida.

E o que fazer então... Bom, eu tenho a solução, que por sinal sequer é percebida pelo atual treinador do Santos F.C. Não gostaria que assim fosse,  mas não vejo outra saída. Se os meninos da Vila não conseguem responder à truculência na bola, portanto, que o façam na mesma moeda, mas como diferem fisicamente, que se contrate ou nomeie o chamado “sherifão”.

Isto me faz lembrar uma passagem acontecida com o Chicão (Francisco Jesuíno Avanz), um jogador do passado que era um autêntico xerife dentro de campo. Certa vez, numa partida da Seleção Brasileira contra a Argentina, em 1978 na cidade de Rosário, o técnico Claudio Coutinho já cansado de ver "los hermanos" baterem, manda Chicão para o aquecimento. Só no aquecimento, como conhecido que era por sua valentia, já incomodava, e quando entrou não deu outra, bateu até na sombra e, até hoje, é lembrado como o “Monstro de Rosário”.

Voltando as figuras da arbitragem, mesmo com a escuta (tenho cá minhas duvidas se não é também externa) e a ajuda de mais quatro auxiliares, mesmo assim eles conseguem se embananar. É mole!

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009