Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   
23 anos de plena concordância e unanimidade
 

charge ricardo teixeira

 

A que custo? Vivendo sob um regime e cultura por demais dilapidados pela corrupção como acreditar na inocência de Ricardo Teixeira.

É tanta descompostura neste caso que chego a duvidar da afirmativa de que toda unanimidade é burra, e sim também conveniente.

Sempre agindo “politicamente” frente a todas as federações, onde poucas vezes se defrontou com adversidades, aliás, apenas no ano de. 2000 quando da CPI da Nike, e não fosse à interveniência do carioca – presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Viana, mais conhecido como  Caixa D’Água, que o aconselhou à época a desistir do fantasma da renúncia que hoje o rodeia novamente.

Não sei se aconteceria o mesmo como na política, onde o indiciado para não perder o mandato cai fora antes, para retomar depois sob a égide do “jeitinho brasileiro”, isto quer dizer, acaba escapando de um melhor julgamento.

Se de fato acontecer, quem assumiria no seu lugar seria o seu vice, aquele da “medalha” – José Maria Marin. E como ficariam todos aqueles que foram cordatos durante todo o seu mandato. Pelo visto Ricardo deve ter “pisado na bola” e agora sofre reveses.

Pegar o bonde andando a uma altura dessas, as vésperas dos eventos máximos do desporto mundial, seria uma façanha não só inusitada, como de alto risco, haja vista, aquele que larga o poder o faz após 23 anos de total soberania, embora os pretendentes como Del Nero, Weber Magalhães, Rubens Lopes e Novolleto, Peixoto e Schettino (não foi esse que já afundou um navio?) o acompanham de longa data.

A grande tarefa, com certeza, será desfazer os nós dessa emaranhada política da boa vizinhança deixada por Ricardo Teixeira.

Desta feita quem estará fazendo o papel do Caixa D’Água serão os "trocentos" apadrinhados seus.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------
E sobre a Libertadores, o Santos vacilou e o Corinthians manteve o seu estigma de "via crucis", embora desta vez parece que os santos com “peninha” estarão ao seu lado.

Flamengo, Fluminense e Vasco, longe das cariocadas se de fato Ricardo Teixeira cair, deverão penar para se classificarem.

E no Paulistão, pelo visto alguém vai tirar o pé da lama após todos esses anos de angústia por um título. Mesmo na base do “chuveirinho”, no preciosismo de Marcos Assunção e na truculência do Felipão, eles provavelmente chegarão lá.

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009