Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Ai! Que vergonha !!!
 
 

Antes da final da Copa Brasil, no jogo entre o E.C. Corinthians x Sport Clube Recife, havia consultado o Google sobre o estudo das massas para entender melhor esta histeria corintiana. Acabei navegando pelo mundo da internet e me encontrado com várias teorias a respeito. Desde Jose Ortega Y Gasset em sua revolução das massas, Ana Rodrigues, enfim, uma gama de estudiosos das minorias e das massas, chegando até a ler uma página de Marx.

Mas, antes que eu empepinasse ainda mais a minha mente, parei e cheguei à seguinte conclusão: “Os corintianos, na realidade, são constituídos de uma massa que nem Freud explica. Eles conseguem reverter qualquer ordem de toda retórica sobre o assunto. Entre todas é a única massa que cresce de volume, mas que não resulta em propósito algum. Serve apenas para  regozijo próprio. Portanto,  o resultado da partida é conseqüência  e, o que passa a ter valor intrínseco é o fato de que: ”Pô! “Colocamos setenta mil pessoas no estádio”, e, conseqüentemente, acabam numa frustração coletiva, ou melhor, numa massa turba.

Marido traído Mas, voltemos ao título desta, onde faço alusão a uma piada da qual o marido duvida que está sendo traído pelo seu melhor amigo, o João, até que um belo dia se posta à espreita para comprovar. E, ao assistir aquela cena deprimente, devido à lei da gravidade e um festival de banhas e celulite de sua amada, eis que exclama no surdo de sua alcova: “Ai! Que vergonha do João”.

Pois é assim que eu me sinto com relação ao nosso futebol. A partida em questão deve ter sido televisada para o mundo inteiro. Até mesmo os “corinTHianos” devem ter sentido vergonha dos seus” friends” ingleses, vez que sempre afirmam ser a sua origem.

Como venho sistematicamente afirmando que a hegemonia do futebol brasileiro perante o mundo é inegável, me proponho a apresentar uma solução de imediato. Precisamos banir de uma vez por todas a figura do treinador retranqueiro. É inadmissível e totalmente incompatível com nossa origem. Eles estão matando aqueles poucos jogadores com habilidade e genialidade que nos resta. Ah! Seu Mano, que falha grotesca, tendo toda aquela vantagem...
Águas passadas. O que nos resta é só lamentar e trocar o refrão do orgasmo para:

NÃO CHORA, NÃO CHORA, NÃO CHORA

  Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009