Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Artilheiros de araque
 
  Artilheiros de araque - retrato do nosso futebol

Há muito tempo venho relutando para evitar polêmica nesse futebol conturbado de hoje.

É claro que entramos no chamado buraco negro com a falta de jogadores de fibra, raça e técnica, trinômio este que sempre esbanjamos pelos quatro cantos do mundo.

No entanto, resolvi criar um personagem batizando-o pelo título desta matéria. “De Araque”, porque na verdade são apenas fazedores de alguns gols. Portanto, estão muito longe de serem autênticos artilheiros, aqueles que defronte ao arco dificilmente deixam de balançar as redes. Hoje em dia, raramente, sequer conseguem ultrapassar a casa do ponto zero na estatística de gols por partida.

Somente duas condições lhes são favoraveis: uma é quando se defrontam contra os timecos lá da “caixa prego”, e a outra quando estão as vésperas de renovarem os seus contratos, portanto, estas são as únicas formas de levantarem o seu moral.

Afirmo, com muita convicção, que o maior problema do futebol de hoje em dia é o alto salário que eles recebem, sendo que a maioria sequer sabe assinar o seu próprio nome. Tanto que o controle financeiro para manter o seu status é quase sempre dirigido, ou pelos procuradores ou pelos seus contadores, chegando ao absurdo de ouvirmos com freqüência... ”Faça o cheque...... e assine”. Devido a isso, acabam tornando-se vítimas, como já acontecido com vários deles.

Esta é uma tecla que venho batendo já há algum tempo, sobre a necessidade de se estruturarem e se educarem para gerir as suas próprias vidas com mais consciência e determinação.

Estou tão invocado que me nego até a citar nomes, mesmo porque haja pauta para relacioná-los. Na verdade, hoje não existe no futebol brasileiro nenhum artilheiro, isto porque o “baixinho” se aposentou, o qual considero como o último dos moycanos.


Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009