Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   

Tributo a Chico da Rita

 
  Chico da Rita Oh! Meu Deus! Como o Senhor pôde fazer isso comigo... Logo agora que eu estava quase pronto para arrancar dele e de sua alma, toda a sua sabedoria com respeito ao seu convívio com o futebol varzeano santista! Isto sim posso chamar de uma autêntica “queima de arquivo". Mas, quem sou eu para julgá-lo...

Francisco Pereira Campos, 69 anos, o Chico da Rita, como era conhecido pelos campos de nossa várzea, foi um jogador, como dizemos na gíria futebolística, “enjoado”, cheio de malandragem e parangolé. Isso o tornava um cara carismático em nosso meio. Embora querido por todos os times da várzea, Chico se dedicou, com muito carinho, por duas agremiações: o Itapema Futebol Clube, do Jardim Boa Esperança, e a Sociedade Esportiva Barreiros, de Santos, que o consagrou pelos títulos que conseguiu.

Hoje, mais resignado, foi convocado para atuar no "time do Homem", que a esta altura do campeonato, e pelo andar da carruagem, já está se descabelando, quase perdendo para os capetas. Agora com o Chico na armação e tomando conta do meio de campo do time celestial, vai com certeza colocar todos os capetas para “correr”. Pernada e cotovelada não vai faltar ,e ai do anjinho ao seu lado que fizer corpo mole. Esta era uma peculiaridade marcante em sua carreira, não se acovardava fosse quem fosse e, tampouco, aceitava corpo mole de seus colegas. Sempre aguerrido, gritando, discutindo com todo mundo, e como ele mesmo dizia: “Eu era o mais encrenqueiro. Ninguém ganhava na marra de mim”.

  Niveta, Chico da Rita e Pinga Dileu, Chico da Rita, Gigi e Niveta
Dentro de campo era, como se diz na gíria, “o cão chupando manga”, no entanto, fora de campo não fazia distinção a quem quer que seja, era amigo de todos. O porquê de ser tão querido. O futebol santista perde um craque excepcional, considerado como um dos maiores atletas varzeanos de todos os tempos, e a cada dia a história da nossa querida várzea vai se extinguindo.

Bem, meu amigo Chico, como tive o prazer e a honra de jogar ao seu lado, espero que você vire logo esse jogo celestial para que não precisem de um centroavante ,também.

Fique na paz e que Deus o tenha.

Abraços do Gigi
Clique aqui para visualizar todas as crônicas
 
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009