Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   
Juiz ladrão
 

juiz antonio schneider

 

Quantas e quantas vezes ouvimos em coro uníssono nos campos de futebol : Juiz Ladrão.
Termo que já se adequa ao dicionário futebolístico no sentido de uma forma de xingamento a costumeira má conduta de certos árbitros de futebol. Portanto, sem pé nem cabeça as ações impostas por este tipo de ofensa.

Sobre esta ótica, imaginemos uma ação coletiva contra uma arquibancada.

Ora! Deixem de ser ridículos impetrando ações contra jogadores. Na verdade dêem graças a Deus se em vez do xingamento não levassem, merecidamente, uns bons petelecos para largarem de serem bestas.

Quantos não se aproveitam do estrelismo de certos craques para se auto- promoverem no cenário da arbitragem com atitudes antipáticas. Caso de Armando Marques com Pelé, e hoje, para não citar outros tantos, o menino Neymar que vem sendo vítima a cada jogo.

Ontem mesmo no jogo contra o Coritiba, para não dizer outras tantas partidas, sofreu todo tipo de agressão, até mesmo uma cabeçada criminosa do jogador Jessi, entre as dezessete faltas sofridas, sendo que três das seis cometidas somente pelo lateral Jonas foram dignas de um cartão vermelho. E por total contra-senso, Neymar ainda sai de campo
com cartão amarelo. Por muito menos, Pará do Santos F.C. cometeu duas faltas e foi expulso de campo.

Se cabem a eles o direito de se julgarem donos da verdade, pela autoridade que lhes compete, vamos supor se naquela cabeçada do Jessi, Neymar tivesse tido uma convulsão qualquer. Que direito caberia a ele de reivindicar judicialmente contra o árbitro que não agiu com rigor na punição ao agressor ?

Enfim, deixem de frescuras e dengos e executem seu trabalho com dignidade.

Abraços do Gigi
Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009