Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   

O complicado entendimento do que é esperteza

   
Charge Stegun

O mundo capitalista, e hoje menos estatizado, leva o indivíduo à corrida desenfreada pelo sucesso, tendo como alavanca, além da sabedoria, a tão famigerada esperteza. Palavra esta que de há muito encoraja o dinamismo no mundo dos grandes negócios.

Não basta apenas inteligência, mas sim o aguçado e arrojado espírito de empreendedor no desenvolvimento de qualquer atividade, seja na política, na economia, ou mesmo no social. Aquele que bem se acerca politicamente, obviamente será recompensado economicamente e conseqüentemente terá um destaque na sociedade.

Como então definiríamos a palavra esperteza?

 

Segundo alguns dicionaristas, seria o indivíduo vivaz, ágil, enérgico e, (agora que se torna complicado), astuto, ardiloso, manhoso, enfim aquele que consegue seus intentos muitas vezes se utilizando de ardis, truques e artifícios na conquista de suas metas. Mediante tal afirmativa alguns diriam: “Puxa! Que sujeito esperto”, isto quer dizer, “Caramba! O cara não é mole não! Ou então: “Este fulano leva jeito pro negócio”, ou ainda: “Pô! “Ele tem a manha”.

Afinal, o que poderíamos entender ou decifrar desta bendita palavra. Portanto, o que me parece, a grosso modo, é que aliado a ela vem uma boa dose de malandragem, falta de escrúpulos, descaramento e oportunismo, e se formos à busca destes significados, aí então é que nos decepcionaríamos de vez com seus conceitos.

A esta altura, devem estar se indagando aonde pretendo chegar. Pois bem! Faço isto porque sei o quanto foram prejudicados inúmeras pessoas de boa fé, dotadas de princípios morais e valores éticos, que dentro das normas legais acabaram não atingindo seus objetivos, embora até mais capacitadas, em virtude desses chamados “espertos”. O que não deixa de trazer dentro de mim uma revolta interna e mostrar todo o meu desprezo por muitos atos “escabrosos” pelos quais presenciei por toda a minha vida.

Com certeza, os “sabidos” afirmarão ser recalque da minha parte, mas mesmo assim, não me privo deste desabafo e de demonstrar todo o meu repúdio a estes que usufruem desta artimanha.

Ao longo desses anos todos, tenho vivenciado o desenvolvimento de muitos conglomerados que por boa influência e politicamente bem situados acabam se locupletando.

Sei que teria que me explicar oferecendo mais argumentos para dar ênfase ao meu desafeto, mas o meu intuito não é fazer um tratado a respeito, mesmo porque não teria nem didática e nem desenvoltura para tanto, e sim simplesmente desagasalhar-me deste abafo que me sufoca desde a muito.

Obviamente não posso generalizar todos esses atos, mas fica aqui apenas uma manifestação de que de certa forma eu e muitos brasileiros estamos “espertos” no assunto.

Depois de ter passado por tudo isso, deixo um questionamento: “Até que ponto foram bem sucedidos esses espertos? Teriam eles pago o preço justo pelo seus atos, ou conseguiram sobreviver intactos as suas luxúrias?”

Pelo menos consegui ter uma vida feliz e o sono dos justos, sem dramas de consciência, a não ser aquelas provocadas pela esperteza dos meus pretensos amigos. 

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009