Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   
O terceiro pecado capital
  soberba

Até parece uma coincidência, já que trato aqui do caso de sua majestade, o todo poderoso chefão dos são-paulinos, que em sua soberba (segundo os preceitos da mística Carta de São Paulo quando definiu os Sete Pecados Capitais) acaba de provocar algo que realmente afronta o bom senso.

E, conseqüentemente, por mais uma vez tiro o chapéu para o presidente do Esporte Clube Corinthians Paulista ,que segue à risca a cartilha do seu marqueteiro.

Se o assunto não reunisse dois dos mais fortes personagens do esporte, certamente tal fato seria

 

matéria requentada, mas o anúncio da parceria entre uma construtora paulista e o Corinthians trás a tona algo que desperta interesse e melhor reflexão.

A gestão do presidente corintiano estando à frente da comitiva na Copa do Mundo, foi oportuna e conveniente. Na verdade, estava no lugar certo e na hora certa. Portanto, oportuna, pois soube aliar poder ao resultado, na medida em que minando o adversário, leia-se São Paulo Futebol Clube, conseguiu aliar à sua necessidade “Estádio” em relação à Copa de 2014.

Por esse prisma veremos o quanto é importante o jogo político, mesmo porque estamos em ano eleitoral, e obedecendo a um velho provérbio: para bom entendedor meia palavra basta. Se enfocarmos pelo entendimento do que é poder rotativo ou cíclico, fica claro que esse ato começa a desbancar a longa hegemonia são-paulina.

Desta feita me reservei ao assunto "Estádio", quando poderia também fazer criticas quando da contratação de uma baciada de jogadores com prazo de validade vencido, no intuito de disputarem a Libertadores em detrimento às suas bases.

Agora, não poderia deixar de citar o infortúnio desse menino Paulo Henrique Ganso, em pleno auge. Para simplificar, e usando uma linguagem futebolística, o Santos Futebol Clube acaba de perder meio time, e o pior de tudo é que terá que, com o outro menino Neymar, contrariar uma expressão idiomática muito popular: “uma andorinha só não faz verão”.

Analisando friamente, acho que faltou um pouco de visão aos dirigentes do clube em não encarar que o futebol de hoje é realmente muito mais “business” do que paixão. Outro detalhe importante, e que talvez tenha passado despercebido, é o fato de o nosso Santos ter o privilégio de ser o maior clube revelador de talentos do futebol brasileiro. Portanto, é só olhar para a sua base e ver o que está surgindo, e o que é mais animador, para muito breve.

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009