Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
O olho vesgo
 

Olho vesgo

É triste, mas ontem chegamos ao fundo do poço. O futebol brasileiro, tanto quanto o argentino, estão sendo, de certa forma, ridicularizados pela imprensa mundial. Partida das mais medíocres tecnicamente, que contrariou toda uma filosofia de hegemonia do futebol sul- americano. 

O ponto culminante, sob uma análise que reflete toda uma decadência da supremacia, foi a contemplação quase unânime dos cronistas ao elegerem Júlio Batista como o melhor em campo. Um jogador de extrema limitação técnica que exibe apenas um físico atlético e, nada mais.
O jogo foi de tal forma tão ruim que até mesmo Robinho e Diego se envolveram no sofrível futebol apresentado. Portanto, gostaria de deixar claro o fato de que esses jogadores que estão se apresentando para estas partidas nada mais são, à nossas vistas, jogadores na sua maioria comuns, com raras exceções. Mas, na ótica dos países em que atuam, são diferenciados por uma clássica: “Em terra de cego quem tem um olho é rei”, mesmo assim, esse olho é para muitos deles vesgo. Na verdade, qualifico como vesga toda a imprensa ontem na escolha do melhor em campo.

O seu Dunga não pode errar naquilo que é elementar e nem básico, por exemplo: a seleção mostrou nitidamente a necessidade de uma qualidade melhor no passe, no entanto ele persistiu com o lateral Gilberto tendo Kleber no banco. Talvez, até mesmo por essa simples observação, seja o motivo de sua degola.

A propósito, qualifico também como um ato vesgo a decisão do Barcelona quanto à dispensa não só do Ronaldinho Gaúcho como também a do Eto'o e o Deco. O privilégio de fazer este tipo de comentário sobre a qualidade de nossos atletas compete tão somente a nós, portanto, achei extremamente absurda a decisão do time catalão quanto à esnobação do nosso craque maior. Sei que é difícil tal comentário face o desconhecimento do chamado “bastidores da bola”, mas, acredito bastar apenas aquele puxão de orelhas e nada mais.  

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009