Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   
Paradigma de uma nova era
 

Neymar e Luiz Alvaro

 

Não importa a forma como tenha acontecido, mas mesmo tendo sido sob a égide do espírito político, ou mesmo ainda sob a manobra do obscurantismo desse intrigante “bastidores” que rege toda nossa sociedade, não podemos privá-los do mérito de empreendedorismo e arrojo de um grupo de visionários.

Por sorte tiveram um fator preponderante, legado da gestão anterior, do qual souberam com maestria agarrarem-se na cauda do seu cometa com possibilidade de navegarem por um bom tempo no esplendor de sua luminosidade.

Equipe de financistas que, na lógica do tempo, anteviram a probabilidade de engrandecimento, tendo em vista uma provável situação econômica recessiva de toda União Européia, conseqüentemente, facilitando toda essa manobra mercantilista, através de um método pujante de marketing.

Lembrou-me bem o meu velho amigo Rodolfo Varella, um ex-conselheiro participante de comissões fiscais de tempos idos, em que na carência de renda fixa, o clube para sua sobrevivência recorria por diversas vezes a coleta junto aos Barões do Café, financistas da época, através do Livro de Ouro no centro cafeeiro da tão afamada Rua XV de Novembro, pela pujança que o mercado de café exercia na nossa economia.  Palco também de uma força viva na qual se transformava num verdadeiro “senado” incorrendo diretamente nas decisões políticas de nossa cidade.

Hoje, porém, novos tempos, novas mentes progressistas e um mercado visivelmente expansionista, fazem com que recorremos a uma diversidade de empreendimentos com resultados mais promissores e duradouros.

No entanto, como vivemos uma democracia, embora um pouco “mascarada”, não podemos e não devemos, lamentavelmente, que o “homem” prossiga nesta trilha sem uma fiscalização oposicionista, condição essa exercida pelo conselho do clube.   Preocupação esta pelos exemplos que se acometem no dia dia.

Como sou da paz e totalmente alheio as hostilidades políticas, podendo ser utopia ou não, seria conveniente a uma altura dessas, deixarem de lado as picuinhas que corroem a vaidade na briga pelo poder e  abraçar as causas irmanamente. (Ah! Como é bom sonhar.)

O Santos Futebol Clube como clube predestinado que é, mais uma vez se faz presente como precursor dessa nova era, trazendo para o nosso continente a possibilidade de concorrer com outros centros, principalmente, o da Europa não se oprimindo pela força do poder econômico, buscando alternativas criativas no intuito de manter em nosso meio a nossa jóia mais rara. Tanto que, até tivemos como precedente a oportunidade de disputar pela 1ª. vez, indicação fora das hostes européias, como melhor jogador do mundo, esse novo “astro” que arrasta por toda sua cauda uma nova geração. Sem dúvida alguma trará para o clube a tão famigerada renda fixa. 

Na verdade, além da expectativa da realização da Copa do Mundo, essa nova mentalidade exercida pela diretoria do Santos F.C. se proliferará por todo o país.

Não posso deixar de considerar e agregar a essa nova idéia, mesmo que tenha acontecido devido ao evento máximo que se aproxima, também o espírito empreendedor que o E.C. Corinthians Paulista vem tendo através do empenho que vem exercendo na construção do seu estádio.

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009