Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gigi

Carlos Alberto Mano Prieto - ( Gigi)

contato: carlosprieto@giginarede.com.br

   

Pátria amada, salve, salve !

 
 

Ronaldo, Adriano e Robinho

Jogadores brasileiros em decadência no exterior voltam para suas bases no intuito de se reciclarem e salvaguardar o investimento dos clubes estrangeiros. Portanto, jogada de marketing tanto deles quanto dos nossos clubes também, que no saudosismo, mesmo correndo risco, tentam conservar a imagem de seus ídolos.

O último caso é o do Robinho, que tendo declinado vertiginosamente no futebol europeu fez com que o Manchester City, que investiu uma soma gigantesca, o mandasse de volta para recuperar o seu prestigio, não só junto ao torcedor brasileiro como também perante o seu próprio selecionado.

Embora tenha saido pela porta dos fundos, haverá mérito se de fato ele reconheceu o seu erro. Portanto, motivação é o que não falta, haja vista ter preterido outros clubes para voltar a jogar pelo seu clube formador, o Santos F.C. que reedita mais uma vez uma meninada altamente capacitada, demonstrando aquele futebol alegre que sempre nos encantou.

O mesmo aconteceu com Ronaldo Fenômeno e o Adriano, que a esta altura já desfrutam de uma situação melhor, tanto que ambos estão na mira do Dunga. Isto prova que a jogada de marketing foi perfeita porque ambos além de valorizarem seus passes, ainda salvaguardaram os interesses de seus mandantes.

Muita polêmica e preocupação deixam atônitos todos os torcedores em função das somas gigantescas que envolvem os seus contratos. No fundo, desconhecemos de fato o quanto sobra efetivamente de responsabilidade exclusiva para cada clube. Essa interrogação que nos é impingida fica restrita apenas à diretoria executiva que no anseio de atender a sua massa e corresponder a sua política de gestão coloca em alto risco toda operação.

Em face à sua complexidade, o porquê do futebol hoje exigir dirigentes gabaritados e aliados ao pensamento empresarial.  A essa responsabilidade devem associar-se o conselho e as suas comissões fiscais, para que haja transparência total em toda e qualquer atividade do clube.   

Abraços do Gigi

Clique aqui para visualizar todas as crônicas
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009