Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Sandra Motta Dito e Feito

Sandra Motta

Jornalista, Bacharel em Direito e web designer responsável pelo site



contato: sandra@giginarede.com.br

  Cientistas dos EUA desenvolvem 'pílula da boa forma'
 
Arquivos

Jogadores bonitos
Reforma ortográfica
Rui Barbosa
Pílula dia seguinte
Fuja da rotina
Arte com giz
Viagra feminino
Celebridades sem maquiagem
Pílula da boa forma
Net x obesidade
Peixe médico
Condominios
Dublagem brasileira
Contra o stress
O cheiro e o humor
Apresentação


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boa forma...sonho de toda mulher
Cientistas americanos anunciaram que estão mais perto de lançar uma pílula que melhora o desempenho físico das pessoas, mesmo que a pessoa não mexa um músculo para isso.

A publicação científica Cell traz um artigo sobre um estudo de pesquisadores americanos que dizem ter testado duas pílulas que conseguiram desenvolver músculos, aumentar o vigor e levar à queima de gorduras.

Eles realizaram testes com camundongos, que conseguiram correr 44% mais após receberem uma das drogas - sugerindo que ela teria efeito semelhante sobre os seres humanos.

A idéia é polêmica porque há temores de que pílulas desse tipo possam ser usadas de maneira inadequada em esportes.

Genes

As duas drogas, chamadas AICAR e GW1516, parecem ter um impacto em um gene envolvido na formação de músculos.

Esse gene - chamado PPAR-delta - tem a habilidade de controlar a atividades de outros genes. Por isso, poderia, em teoria, ter um efeito generalizado na maneira como o corpo funciona.

Nos testes com os camundongos, os pesquisadores inicialmente alteraram geneticamente os animais para aumentar a atividade desse gene, o que levou ao desenvolvimento de músculos com mais propensão para queimar gordura.

A próxima etapa foi produzir efeitos semelhantes aos da alteração genética, mas com o uso de drogas.

A primeira pílula, com a droga GW1516, também teve o efeito de aumentar a queima de gorduras, mas só levou a mudanças no desempenho dos camundongos em exercícios depois que os animais foram submetidos a longas sessões de esteira. Depois disso, eles passaram a correm 77% mais tempo.

A outra droga, AICAR, foi um passo além, agindo de uma maneira diferente sobre o desenvolvimento muscular.

Dessa vez, os animais não precisaram receber treinamento adicional. Depois de apenas quatro semanas recebendo a pílula, eles conseguiram correr 44% mais.

Resultados

Segundo Ronald Evans, pesquisador do Instituto Médico Howard Hughes e do Instituto Salk, na Califórnia e um dos responsáveis pelo estudo, as duas versões poderiam um dia ser benéfícas aos humanos.

"Se você gosta de exercícios, você vai adorar a idéia de obter mais resultados pelo que faz", disse. "Se você não gosta de exercícios, você vai adorar a idéia de obter os mesmos resultados (de quem faz exercícios) com uma pílula."

No entanto, Colin Palmer, um professor da Universidade de Dundee, disse que a idéia é polêmica.

"Isso é, basicamente, uma droga que aumenta o resultado de um treinamento. O que é suspeito é o conceito de uma droga que melhora o desempenho para esportistas."

Fonte: BBC-Brasil

www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009