Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  José Macia Pepe Bombas de Alegria

José Macia - Pepe

José Macia, o Pepe, nasceu na cidade de Santos, tornando-se o maior ponta esquerda artilheiro que o mundo já viu e, também possuidor do chute mais portentoso.

Seu maior mérito foi ter beijado um único dístico em toda sua carreira, o do glorioso Santos Futebol Clube. Por este seu gesto tem o respeito e o carinho não só de nossa cidade como também de todo torcedor alvinegro e apreciador do bom futebol. Editou seu primeiro livro “Bombas de Alegria”, em 2006, já em segunda edição e promete até o final deste ano o lançamento do seu segundo livro. Pepe está quase sempre na livraria Realejo, no Gonzaga, distribuindo autógrafos e esbanjando toda sua simpatia. Como colaborador e colunista deste site, reproduzirá  alguns dos seus famosos “causos”.


  Os três sinais
 
Arquivos

O Magrelo...
Os três sinais
Discos Frankfurt
O amigo Leal
Empréstimo Manga
O contrato
O bote
As sete ondas
O porrete
Leão bravo

 






 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mário Vianna, grande árbitro do passado, quando de sua curta passagem como treinador do Palmeiras, ensinou a seus pupilos uma nova tática:

- Quando eu assobiar uma vez, quero que todos vocês respirem, pois o ar é bom e é de graça! Dois assobios é sinal para abaixar a bola, pois a bola é feita de couro, couro vem da vaca, a vaca gosta de grama, logo, jogo na grama.

Se nada disso der certo e vocês ouvirem três assobios, é o sinal para baixar o sarrafo que a coisa tá feia.

 O Palmeiras foi a Piracicaba jogar e era bonito aquele time obedecendo às ordens de seu treinador que do túnel, com as mãos na boca, assobiava estridentemente uma, duas, três vezes.

Pepino, zagueiro do XV, a certa altura reparando naquilo, não agüentou e disse:

- Ô, careca? Estás treinando para guarda-noturno ou está chamando cachorro?

Mario Vianna queria “encurtar” à distância, mas foi contido pelos policiais.

(extraído do livro "Bombas de Alegria")

 
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009