Lista dos clubes amadores da Baixada Santista
 
 
Santos é tri da Libertadores  
Duelo entre Neymar e Messi  
Muricy mereceu o título  
Neymar faz história na Vila  
Neymar e Ganso até 2015  
Ver todas as notícias  
 
Renan Prates Renan Prates
Timão, na moral
 
Pepe

José Macia Pepe
Bombas de alegria

 

 
Ednilson Valia Ednilson Valia
Amor corintiano
 

Gustavo Grohmann

Gustavo Grohmann
Messi na Copa
 
global Coluna do Leitor
Homenagem ao Pelé
 
     
 
 
Ver todos os colaboradores
  Gustavo Grohmann Futebol

Gustavo Grohmann

Editor do site Milton Neves desde 2005. Passou pelas TVs Cultura e Record e pelo Diário do Grande ABC.

E-mail: gustavo@terceirotempo.com.br




  Torcida única é a solução imediata
 
Arquivos

Bando de hipócritas
Toques rápidos
Respeito ao craque
A cereja do bolo
Nem tanto ao céu
O Fenômeno
Real Madrid
Torcida única
Fala sério Timão
Acabaram as férias
Pra que falar, Jr?
SP x Vitória
Prendam o agressor
Parabéns, Silas!
Holanda x Alemanha
Messi na Copa

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não teve jeito! A polêmica criada pelas diretorias de São Paulo e Corinthians e alimentada pela imprensa acabou em confusão digna de guerra civil.

Dentro das quatro linhas o clássico foi muito nervoso, com pancadas desde o início da partida, inúmeros cartões amarelos e três corretas expulsões. E após o apito final, a coisa foi para a arquibancada e degringolou. Não houve confronto entre as torcidas adversárias, mas sim entre a torcida do Corinthians e a polícia.

Parte dos torcedores corintianos, assustados após a explosão de uma bomba caseira, forçou a saída do estádio antes do tempo previsto (era necessário aguardar a torcida do São Paulo se dispersar).

Os policiais responderam com três bombas (uma de gás lacrimogêneo e duas de efeito moral) e “empurram” os torcedores de volta para a arquibancada, que, assustados, acabaram se pisoteando.

Despreparo da polícia? Audácia dos torcedores? Não posso responder! Mas o que sei, e o que me deixa mais irritado, é que ao voltar para a arquibancada, tais torcedores simplesmente começara a “quebrar tudo”.

Cadeiras foram arrancadas e arremessadas ao gramado, vidros que separavam as torcidas foram destruídos, extintores de incêndio danificados, banheiros quebrados... e tudo isso no confronto com a polícia? NÃO! Tudo isso feito SEM MOTIVO, por verdadeiros marginais, animais, vândalos ou sei lá como chamar essa gente.

Que pra variar, ficaram sem punição e poderão estar de volta aos estádios nas próximas partidas. No máximo, meia-dúzia foi levada até a delegacia, prestou depoimento, pagou uma fiança simbólica e foi embora.

A verdade é a seguinte: não dá mais para ir tranquilo a um estádio de futebol! E acredito que a maneira mais eficaz de diminuir um pouco esse tipo de desgraça, já que punição severa é luxo, é apelar e fazer o famoso jogo de torcida única! Infelizmente.

Fale com o colunista: gustavo@terceirotempo.com.br

 
www.giginarede.com.br - Todos os direitos reservados © 2009